E: inova@inovasinalizacao.com.br | Tel: (11) 3644-7283

NR 26: tudo sobre sinalização de segurança


Entre os cinco sentidos, a visão é aquela que promove o maior número de informações a serem processadas pelo cérebro. Grande parte do potencial de processamento cognitivo humano é utilizado para interpretar informações visuais desde a infância, e por isso o ser humano é predominantemente visual.

É por esse motivo que a sinalização de segurança no ambiente laboral é tão importante. Por meio de um simples anúncio, de uma cor ou de um símbolo é possível comunicar mensagens complexas, evitar acidentes e até mesmo salvar vidas.

Neste post você vai conhecer a NR 26, que apresenta e regula algumas normas relativas à segurança e sinalização no local de trabalho.

A NR 26

A Norma Regulamentadora (NR) nº 26 consiste em um conjunto de regras de observância obrigatória por parte de todas as empresas regidas pela CLT no Brasil, sendo revisadas periodicamente pelo Ministério do Trabalho.

Seu principal objetivo é estabelecer e fixar cores específicas, que devem ser usadas para identificar equipamentos de segurança ou canalizações que conduzem líquidos/gases, delimitar áreas, advertir riscos e garantir a segurança de todas as pessoas que convivem naquele ambiente.

O descumprimento da norma implica em uma notificação formal, que estipula um prazo de 1 a 60 dias para a correção da sinalização. Caso o erro persista, o empregador deverá ser multado. O valor da taxa varia conforme o nível da irregularidade identificada.

O uso de cores na NR 26

As sinalizações com o uso de cores, sempre que necessário, devem ser acompanhadas de palavras ou símbolos convencionais, respeitando as seguintes especificações:

Vermelho

Ao contrário do que muita gente pensa, a cor vermelha não é utilizada para sinalizar “perigo”, mas para identificar água e outros recursos de combate a incêndios. Por isso é tão comum encontrar hidrantes, extintores, caixas de alarmes, portas de emergência e sirenes dessa cor.

Amarelo

Assim como nos sinais de trânsito, a cor amarela é usada para indicar o sinal de “cuidado”, em locais e situações de risco, como pisos molhados, fundos de letreiros com advertências, corrimãos, escadas móveis, parapeitos etc.

Branco

O branco é normalmente empregado em faixas, para demarcar passarelas, corredores ou indicar sentidos de circulação. Também pode ser usado para indicar a localização de bebedouros, coletores de resíduos e zonas de segurança.

Preto

A cor preta pode ser usada em substituição à branca (ou combinada a ela) em algumas condições especiais, ou ser indicada para identificar combustíveis de alta viscosidade, como óleos lubrificantes, piche, alcatrão, óleo combustível etc.

Laranja

Devido ao seu tom chamativo, o laranja possui um uso mais versátil para sinalizar possíveis ameaças. Geralmente está presente em canalizações com ácidos, partes móveis de equipamentos, equipamentos de salvamento aquático e dispositivos de corte, como prensas e bordas de serras.

Verde

Diferentemente de todas as outras tonalidades apresentadas, o verde é usado para indicar segurança. Por isso, a cor é facilmente encontrada em caixas de equipamentos para proteção individual ou primeiros socorros, chuveiros de emergência, emblemas de segurança e sinalização de portas que indicam atendimentos de urgência.

Púrpura

Essa tonalidade é utilizada para apontar os riscos originados de radiações eletromagnéticas e partículas nucleares. Está presente em equipamentos, portas e recipientes que contêm diferentes níveis de radiações penetrantes.

Como fazer a sinalização de segurança nas indústrias

Apesar do uso da sinalização não dispensar a adoção de outras medidas de prevenção de acidentes no trabalho, a estratégia pode ajudar com a conscientização de funcionários e visitantes na indústria. No entanto, é importante lembrar que a variação de cores utilizada deve ser a mais simples e reduzida possível, para que não se torne confusa ou ocasione distrações ao observador.

Outras dicas úteis para a implantação dessa sinalização de segurança, seguindo a NR 26, são:

Realizar um planejamento prévio

Como qualquer outro processo estratégico, a sinalização deve ser planejada antes de ser implantada, ou seja, é preciso que um profissional especialista em segurança do trabalho realize uma análise de riscos no ambiente laboral, com o intuito de identificar quais perigos estão ameaçando os funcionários e definir qual será o tipo de sinalização exigida.

Investir em treinamentos

A capacitação de todos os membros da indústria para a interpretação correta dos sinais utilizados e boas práticas de segurança é um complemento importante para a prevenção de riscos. Afinal, de nada adianta poder contar com um sistema de sinalização eficiente se o observador não puder compreendê-lo.

Priorizar a clareza

Além de se certificar que as sinalizações tenham todas as características que correspondem às exigências legais, é importante lembrar que a padronização dos sinais é essencial para que trabalhadores do mundo inteiro sejam capazes de interpretar as mensagens transmitidas com rapidez.

Sendo assim, a linguagem utilizada deverá ser curta e objetiva, sem se basear apenas nas propriedades de um produto ou local, mas com o intuito de evitar as ameaças ocasionadas com o uso daquele recurso.

De acordo com a norma, algumas palavras de advertência que devem ser usadas são:

perigo, para apresentar cenários ou substâncias de alto risco;
cuidado, para cenários ou substâncias de médio risco;
atenção, para lidar com possibilidades de riscos leves.

Dar atenção aos rótulos

Os rótulos de substâncias químicas presentes no local de trabalho devem conter o nome técnico do produto, a especificação de sua natureza, a palavra de advertência (com o objetivo de definir o grau de risco) e instruções para médicos em casos de acidentes, bem como as orientações adequadas de procedência para lidar com fogo, derrames ou possíveis vazamentos.

Guiar o funcionário

Ao longo de um dia da jornada de trabalho, o ambiente laboral é acessado por diferentes tipos de profissionais e visitantes. O problema é que algumas dessas pessoas podem não estar acostumadas com aquele labirinto de armadilhas, e até mesmo quem está habituado a frequentar aquele espaço deve ser bem informado e (literalmente) guiado por uma sinalização eficaz para garantir a segurança daquele transeunte.

Sendo assim, o essencial é que todas as placas, os avisos e as imagens sejam posicionados de forma conectada, estratégica, bem-disposta e visível, sem atrapalhar o tráfego de pessoas ou causar distrações visuais.

Agora que você já sabe tudo sobre a NR 26, aproveite para aprimorar ainda mais os seus conhecimentos sobre segurança laboral. Leia este post sobre simulações de fuga e aprenda como se organizar para lidar com situações de emergência.

Quais as vantagens das tintas látex para impressão

No mercado de impressão, dispor de tecnologias como a das tintas látex pode ser uma vantagem competitiva e tanto. Isso porque o recurso oferece vantagens importantes, como versatilidade, durabilidade e qualidade de imagens, sem agressão ao meio ambiente.

De acordo com Anselmo da Silva Cuesta, professor e coordenador de Atividades Técnicas da Escola Senai Theobaldo de Nigris, de São Paulo, a tecnologia de jato a tinta à base látex utiliza em sua formulação polímeros e pigmentos dispersados: “esses polímeros, em grande parte, são de origem sintética, podendo ser manipulados quimicamente com objetivos diversos, dependendo de cada aplicação”, explica.

Após ser depositada pelas cabeças de impressão, a película de tinta seca utiliza-se de ar quente, que pode chegar a uma temperatura de 120º C. Dessa forma, o veículo da tinta evapora e sobra uma película de polímeros e pigmentos que irão ancorar sobre a superfície da mídia impressa, realizando, assim, a impressão.

“As impressões realizadas com tintas HP Látex são completamente curadas dentro da impressora para formar uma imagem durável, pronta para instalação, acabamento ou laminação imediatos”, ressalta Thiago Fabbrini, especialista em aplicações para a área de grandes formatos da HP Brasil.

Vantagens das tintas látex

Vale destacar como principais vantagens da tecnologia a sua resistência e durabilidade, assim como a relação sustentável que ela possui. “Por ser tratar de uma tinta sem uso de solventes em sua composição, muitos a adotam por ela estar alinhada com a preservação do meio ambiente e com um dos pilares da Indústria 4.0, que é o da sustentabilidade”, salienta Cuesta.

Para Fabbrini, os principais diferenciais da tecnologia HP Látex são: facilidade de uso, versatilidade de substratos e também o apelo ambientalmente sustentável: “a secagem instantânea possibilita que os clientes entreguem seus trabalhos imediatamente após a impressão, aumentando a produtividade. Além disso, por ser uma opção muito versátil, ela permite uma impressão de qualidade em vários tipos de mídias: lona, vinil adesivo, tecido, papel fotográfico, papel sem tratamento, papel sintético, revestimento de parede, filme backlit, couro sintético e outros”, complementa o especialista.

As tintas látex também possuem um componente de resistência a arranhões, conferindo maior durabilidade dos impressos em vinil e lona, eliminando a necessidade de laminação em impressos de baixo tempo de exposição.

Como você pode tirar proveito das tintas látex

“Empresas que atuam com impressão de grandes formatos e na área de Comunicação Visual – Decoração de Ambientes, têm na tecnologia de impressão InkJet Base Látex uma aliada para aumentar seus clientes, tendo em vista a durabilidade de um impresso realizado por ela”, afirma o professor. Isso porque a tecnologia látex pode chegar a até cinco anos de duração em ambientes internos, e três em locais externos. Dessa forma, as empresas podem atender a diversos segmentos de mercado com um único dispositivo e realizar projetos de comunicação visual, sinalização, decoração, entre demais possibilidades.

Outro ponto a ser ressaltado está na personalização das aplicações. Com a tecnologia látex, cada impressão é única. “Para a empresa, isso é muito vantajoso, visto que as comunicações estão cada vez mais direcionadas”, conclui Fabbrini.

DIFERENÇAS ENTRE ADESIVO E PAPEL DE PAREDE

Está pensando em decorar sua casa, mas não quer enfrentar grandes obras, nem fazer altos investimentos? Algumas soluções simples, práticas e econômicas são o papel de parede ou adesivo de parede.

Para descobrir as principais diferenças entre eles, vantagens e desvantagens e fazer a escolha certa, confira o artigo a seguir!


ESTAMPAS E FORMATOS

O adesivo de parede é uma opção de revestimento bonita, moderna e de fácil aplicação. Os adesivos estampam diversos tipos de desenhos, como flores, árvores, nuvens, pássaros, frases e azulejos, podendo ser coloridos ou pretos e brancos.

São geralmente feitos de vinil e não precisam necessariamente ocupar toda a superfície, como os papéis de parede. Eles são comercializados em diferentes formatos e tamanhos para atender a todas as necessidades.

Já o papel de parede é o tipo de revestimento mais tradicional do mercado, que garante bastante elegância e requinte aos ambientes. Também existem inúmeras opções de cores e estampas para atender a todos os estilos, mas são confeccionados em formato e tamanho padrão para preencherem toda a superfície da parede, dificultando e limitando sua aplicação.

FORMAS DE APLICAÇÃO EM ADESIVO DE PAREDE

O adesivo de parede foi desenvolvido exclusivamente para quem deseja renovar os ambientes de forma rápida e prática, pois não precisa contar com mão de obra especializada, nem necessita de materiais especiais como cola para fixá-lo.

Além de apresentar o verso autoadesivo, ele já vem com espátula e manual com passo a passo para aplicação. Dessa forma, sua fixação é rápida, não faz sujeira, nem deixa cheiro indesejado. Para secar completamente demora aproximadamente 30 minutos.

Entretanto, a aplicação do adesivo de parede, apesar de ser simples, precisa ser realizada com muita atenção e cuidado para que não forme bolhas de ar e não fique torto, evitando a necessidade de descolar o material da superfície com risco de rasgar ou perder a cola.

FORMAS DE APLICAÇÃO EM PAPEL DE PAREDE

Assim como os adesivos de parede, o papel pode ser fixado rapidamente, sem necessidade de obras, sujeira e odor indesejado. Porém, sua aplicação é bastante delicada e exige mão de obra qualificada, pois é necessário o uso de cola especial, recortes e experiência para alinhar as faixas de papel uniformemente e manter o padrão do desenho escolhido.

MANUTENÇÃO

A manutenção de ambas as opções, adesivos ou papel de parede, é parecida, simples e prática. Para limpá-los, basta usar um pano úmido e detergente ou sabão neutro.

REMOÇÃO

Para quem enjoa com facilidade da decoração, gosta de inovar constantemente ou precisa mudar de casa com frequência os adesivos de parede são a melhor opção, já que podem ser removidos com facilidade e o custo é bem acessível se comparado com o papel de parede convencional.

Para remover o papel de parede é preciso ter mais cuidado para que ele não danifique a pintura. Além disso, quando um pedaço do material se estraga, precisa ser trocado por completo para não haver alteração de tonalidade de cores.

INVESTIMENTO

Os adesivos de parede são bem mais acessíveis do que os papéis de parede. Além de o produto em si apresentar valores menores, a aplicação é mais econômica, já que não exige contratação de mão de obra especializada, nem necessidade de adquirir cola especial.

Agora que você já conhece as principais características do papel e adesivo de parede, opte pela opção que melhor atende às suas necessidades e renove sua casa com muito estilo e glamour.

Terceirização de impressão látex

Terceirize sua produção de adesivos em vinil adesivo, sem cheiro e com maior durabilidade

A HP-365 é uma impressora de última geração que utiliza utiliza tintas a base de látex,  sendo possível usá-la para impressão de adesivos, tecidos, papel de parede, entre outros materiais

Como principais vantagens dessa tecnologia de impressão digital destacamos :

  • Impressões sem cheiro, devido a ausência de solventes voláteis
  • Maior rapidez na manipulação das impressões devido a secagem imediata
  • Maior resistência ao risco nas impressões
  • Maior compromisso com o meio ambiente

A impressora HP Látex 365 apresenta um número significativo de inovações que o transportam além dos limites da impressão em ecossolvente, criando novas oportunidades para a expansão dos seus negócios.

Se você é uma gráfica ou empresa de comunicação visual que deseja terceirizar seus trabalhos em vinil adesivo impresso com essa tecnologia, entre em contato com a Inova.

Para  informações sobre materiais, condições e preços, envie um e-mail para atendimento@inovasinalizacao.com.br que teremos o máximo prazer em atendê-lo.

Desvende os aspectos positivos e negativos das cores para a comunicação visual

As cores são um elemento de extrema importância para a comunicação visual. Isso acontece porque a visão é responsável por 50% das nossas atividades cerebrais, o que significa que os aspectos visuais são sempre os primeiros a chamar a nossa atenção, seja de forma racional ou emocional. Justamente por isso, elas devem comunicar, exatamente, a intenção desejada pelas empresas nos materiais.

“Comunicar-se de forma eficaz significa utilizar as cores sem erros de sintaxe cromática. Fazendo um paralelo com a escrita verbal, se alguém escreve uma frase com erro gramatical, comete um ‘analfabetismo verbal’, de modo a deixar a intenção da mensagem prejudicada. Com o uso das cores, ocorre algo similar. Quando escolhemos relações de cores sem o conhecimento de como elas operam objetivamente na percepção, praticamos o ‘analfabetismo cromático’, prejudicando a intenção da comunicação de determinado projeto”, explica Paula Csillag, Prof.ª Dra., especialista e consultora em cores.

Para ficar ainda mais fácil de entender a importância do uso adequado das cores nos materiais de comunicação, vale a pena aplicar a teoria em um exemplo prático.

“Quando temos a intenção de evidenciar um título que está sobreposto a uma foto, por exemplo, as cores utilizadas devem ser perceptivamente mais quentes do que as cores do fundo, porque se a cor do título for relativamente mais fria, a mensagem não será evidenciada e a marca ficará apagada e desvalorizada”, afirma.

Como escolher as cores mais adequadas?

Se as cores influenciam na percepção das pessoas e têm o poder de evidenciar ou, ao contrário, tornar irrelevante um elemento importante da comunicação, como fazer, então,  para usá-las de maneira adequada?

Se as cores influenciam na percepção das pessoas e têm o poder de evidenciar ou, ao contrário, tornar irrelevante um elemento importante da comunicação, como fazer, então,  para usá-las de maneira adequada?

De acordo com a especialista no assunto, é importante levar em consideração, também, os fatores subjetivos, ou seja, as sensações que as cores podem despertar nas pessoas.

Voltemos ao exemplo dado no tópico acima. Digamos que a cor escolhida para o título do material tenha sido o roxo. Apesar de ser uma cor mais quente e forte, em alguns contextos, ela pode ser mal recebida pela sua associação com o luto.

Por isso, muito mais do que escolher cores que combinam ou que agradam ao seu gosto pessoal, é fundamental estudar e conhecer as emoções que elas estimulam.

Conheça os aspectos positivos e negativos das cores

Vermelho – O vermelho é uma cor bastante intensa que pode transmitir sensações de paixão, sensualidade, excitação, ousadia e poder. Ao mesmo tempo, dependendo do contexto em que for aplicado, também pode significar raiva, violência, orgulho ou força.

Amarelo – O amarelo é uma cor quente que passa a sensação de calor, luz e energia. Justamente por isso, as sensações associadas ao tom são de alegria, otimismo, estímulo e descontração. Ele também é estimulante, embora tenha como aspectos negativos a associação com a covardia e o fato de ser um potencializador do estresse.

Laranja – O laranja também é uma cor alegre, que transmite criatividade, energia, sucesso, vitalidade e, até mesmo, gentileza. Não à toa, costuma ter o tom associado à amizade e ao equilíbrio. Por outro lado, pode transmitir uma sensação de exagero e irritabilidade.

Verde  – O verde é a cor da saúde, da vida e da natureza, assim como a ideia de abundância e dinheiro. Em relação aos aspectos negativos, no entanto, destacam-se a associação com a amargura, imaturidade e, até mesmo, com sensações de náuseas.

Azul – Confiança, segurança, tranquilidade, calma e harmonia são algumas das sensações transmitidas pelo azul. A cor da espiritualidade tem como aspecto negativo principal a ligação com a nostalgia, depressão, solidão e melancolia.

Roxo / Violeta – Além de representarem as cores da imaginação e da criatividade, o roxo e o violeta também têm um apelo muito forte com o lado místico, despertando sensações de magia, transformação, intuição e espiritualidade. A parte negativa, no entanto, é a ideia de luto, tristeza e, até mesmo, de vaidade.

Rosa – A rosa é a cor da feminilidade, beleza, doçura e inocência. Por isso, é importante tomar cuidado ao utilizá-la para não “infantilizar” o material.

Preto – Cor muito sofisticada, referente ao luxo, poder e à modernidade, o preto também está, em contrapartida, associado à morte e maldade.

Branco – O branco é a cor da paz, luz, pureza e esperança, além do minimalismo e da simplicidade. Apesar disso, pode transmitir a sensação de frieza e monotonia.

 

Certificado de Empresa Apoiadora da AHPAS – Associação Helena Piccardi de Andrade

Foi com muita satisfação que recebemos esse mês nosso Certificado de Empresa Apoiadora da AHPAS – Associação Helena Piccardi de Andrade, entidade que num trabalho único e pioneiro visa através do transporte de crianças e adolescentes em tratamento de câncer, dar mais ânimo aos pacientes, minimizando os casos de desistência por dificuldades de locomoção.

Além do transporte a entidade também promove o apoio sócio familiar através de programas específicos.

Foi uma honra podermos ter contribuído ainda que modestamente para o desenvolvimento das atividades da AHPAS.